Muqueta na Oreia: “Somos muito ativos, não paramos nunca!”

Post feito por Reynaldo Trombini

 “Somos muito ativos, não paramos nunca, trabalhamos duro!”

Música raivosa, letras que mesclam protesto e muito bom humor! Podemos definir assim a banda Muqueta na Oreia, que chega ao seu segundo disco “Blatta” (2013) praticando um som que vem dando o que falar.

O Heavy Metal Online conversou com os caras para falar sobre a repercussão do mais recente disco e atual momento da banda. Acompanhe!

Heavy Metal Online – Desde que lançou o primeiro disco, “Lobisomem em Lua Cheia” (2011) o Muqueta tem sido figurinha carimbada quando o assunto são bandas que se destacaram no Metal brasileiro. Com o atual “Blatta” (2013) a coisa parece ter ficado ainda mais forte. Ao longo de quase cinco anos e dois discos, em qual patamar vocês se enquadram no meio underground e como têm recebido os comentários do público e “mídia” em geral?

Henry: Somos muito ativos, não paramos nunca, trabalhamos duro todos os dias para levar o Muqueta sempre um degrau acima. Fazer um trabalho sério, por mais que seja divertido, exige muito planejamento e execução diária de tarefas. Tocar talvez seja 10% de todo lance. É assim para os independentes. Mas tudo isso têm valido muito a pena, porque a galera está curtindo e nos apoiando muito e a mídia em geral sempre nos recebeu com atenção. Muito obrigado mesmo por todo o apoio.

Heavy Metal Online – Falando de “Blatta”, último disco, temos um trabalho pesado e que mescla Thrash com Death Metal, Hardcore, dentre outros. Podemos concluir que o recente disco veio de um amadurecimento natural se comparado com seu antecessor? Fale-nos sobre os pontos fortes do disco, em sua visão.

Bruno Zito: Com absoluta certeza. Todo o processo de gravação, divulgação e shows que fizemos com o primeiro álbum “Lobisomem em Lua Cheia” nos levaram a amadurecer muito em todos os aspectos, como músicos, profissionais, técnicos, e principalmente como seres humanos. E isso se refletiu no disco. Quem ouviu os dois álbuns sentiu essa evolução clara. As músicas estão mais pesadas, mais técnicas e as letras estão colocando o dedo na ferida.

Heavy Metal Online – As letras do Muqueta, assim como o contexto que envolve a banda, trazem alta dosagem de bom humor, uma pitada de ironia e protesto vindo de um som quase sempre raivoso. Qual o recado que o Muqueta quer passar com o seu som, ora certeiro, ora descompromissado (no ponto positivo da coisa)?

“Cada integrante tem suas próprias influências, gostamos de coisas diferentes”

Ramires: Haja o que hajar seje você mesmo! (risos). Essa é mensagem! É preciso viver e não apenas sobreviver, entende? Na real somos como escravos de um sistema cruel, presos pelo inconsciente. Desde que nascemos somos induzidos sobre o que é certo ou errado, o que pode e o que não pode, tudo de acordo com a tradição, a religião, o sistema sócio econômico, política, mídia, sistema educacional, e assim por diante. É uma lavagem cerebral. Tudo isso para nos ajustarmos socialmente.

Heavy Metal Online – Vocês concordam quando dizem que a banda apresenta um novo conceito ao Metal brasileiro? Essa era o objetivo do conjunto quando fundado ou o som e ideologias foram se moldando ao longo da trajetória na cena?

Cris: Novo? Talvez. Não sei. Mas é original. Uma sonoridade que veio de forma natural. Cada integrante tem suas próprias influências, gostamos de coisas diferentes. Claro que tem as bandas que todo mundo gosta como Metallica, Pantera e Sepultura, mas cada um traz pro Muqueta elementos que ouvimos no dia-a-dia, e é aí que o negócio fica louco (risos). Vai de A(lice in chains) à Z(é Ramalho).

Heavy Metal Online – É notório a preocupação da banda não apenas em fazer um som de qualidade, mas sim chamar a atenção pela arte gráfica de seus discos, site, merchandising e interação com seus fãs, sendo que o novo disco está disponível para download gratuito. Você considera que falta essa “visão” de negócio em muitos nomes do Metal brasileiro? De um modo geral, o que pode melhorar em nosso cenário?

Henry: É como eu disse, desenvolver um trabalho consistente exige planejamento e muita atitude. Mas não é só isso. Uma banda é uma empresa, ela precisa ter lucro, ao menos pra se manter. Senão ela quebra. O cenário atual não ajuda muito. Em geral é tudo muito amador. Para melhorar, antes de qualquer coisa, o músico precisa se valorizar. Isso cabe a qualquer profissão.

Heavy Metal Online – A banda ainda trabalha com a Muqueta Records, gravadora de bandas de Rock e Metal em geral. Fale-nos sobre esse projeto de apoio ao Metal brasileiro.

Cris: O selo surgiu de uma necessidade nossa e de toda banda que queira se profissionalizar, de ter um material de ótima qualidade. O Muquetas Records faz a gravação, mixagem, masterização, projeto gráfico, prensagem, fotos, videoclipes, divulgação e parceria para distribuição em todo Brasil e parte da América Latina. O Muqueta Records é acessível e já está trabalhando com as bandas Válvera e Liférika, com previsão de lançamento de seus álbuns e videoclipes para o próximo mês.

Heavy Metal Online – Para fechar, deixe seu recado aos nossos leitores e os planos da banda para 2015. Obrigado pela entrevista!

Bruno Zito: Muito obrigado pelo apoio ao Muqueta Na Oreia e ao Metal nacional.

Ramires: E você que está lendo essa entrevista. Valeeeeeuuuu! É isso aí Muquetada, vamos continuar valorizando o que é nosso, nosso povo, nossa terra, nossa língua, nossa cultura, nosso sangue. Força ao Metal do Brasil!

Assista ao clipe de ‘Lobisomem em Lua Cheia’, faixa do primeiro disco:

Site oficial: www.muquetanaoreia.com

Manaus: A FORÇA QUE VEM DO NORTE

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

Por que o METALLICA é tão grande ?

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

O MAL QUE NOS FAZ !

Back to Top