Rebaelliun: “Podem esperar brutalidade pura, música extrema sem frescura”

Post feito por Reynaldo Trombini

“Podem esperar brutalidade pura, música extrema sem frescura e sem edições desonestas”

Heavy Metal Online – O Rebaelliun vivenciou nos seus primórdios uma época de crescimento e expansão do Metal extremo nacional, guiado por nomes que hoje são referência, caso do Krisiun, por exemplo. Quais boas lembranças e aprendizados vocês trazem daquela época?

Fabiano Penna – Certeza que era uma época bem diferente, antes da Internet, que mudou tudo. O Krisiun foi uma banda que se destacou antes, a gente já os conhecia quando ainda moravam em Porto Alegre e tínhamos outra banda, o Blessed. Em 1998 montamos o Rebaelliun e de cara já fomos para Europa, uns 6 meses depois de montar a banda.

Claro que existiu a influência deles, tanto musicalmente quanto no lance da trajetória, eles já estavam fazendo a segunda turnê fora do país e a gente tinha isso na cabeça. O lance era ir para fora e buscar melhores condições para trabalhar.

Fomos para Bruxelas no final daquele ano com poucos contatos na mão, falando Inglês de forma precária, mas em poucos dias já descolamos um show e as coisas começaram a andar. Nossa estadia lá durou 3 meses, fizemos uns 20 shows, tocamos junto com o Deicide e Behemoth e voltamos para o Brasil com um contrato embaixo do braço e muita história para contar. Foi um perrengue, mas as lembranças são as melhores possíveis!

Ronaldo Lima – Foi uma época de grandes desafios e conquistas, de luta ferrenha e obstinada para obter um lugar relevante na cena da música extrema, em grande parte devido às dificuldades que existiam em todos os aspectos. Entretanto, foi neste cenário de adversidade que surgiram bandas de grande expressão e qualidade, trazendo uma nova abordagem e elevando a música extrema a outro patamar, expandindo-o. O maior aprendizado foi compreender que dedicação, foco e muito trabalho são o ponto fundamental para chegar onde se quer e se conquistar seus objetivos.

Heavy Metal Online – Você (Fabiano Penna) divulgou em sua página no Facebook o retorno às atividades da banda, após 13 anos sem algo inédito. Quais os principais fatores motivaram essa união dos membros do Rebaelliun para um novo trabalho?

Fabiano Penna – A gente vez ou outra conversava e levantava essa possibilidade, mas acabou nunca rolando por vários motivos. Eu moro em São Paulo, o Ronaldo mora em Florianópolis e o Lohy e o Sandro seguem em Porto Alegre. Cada um tem sua vida, sua rotina e encaixar a banda nisso obviamente requer abrir mão de algumas coisas.

A banda durou menos de 4 anos, mas fez coisas grandiosas, foram 4 lançamentos, 4 turnês na Europa tocando com nomes como Deicide, Vader, Cannibal Corpse, Behemoth, enfim, foi pouco tempo mas foi intenso. A gente nunca cogitou reativar a banda por hobby, como muita gente faz. Achamos que essa era a hora certa para voltar a fazer música juntos, produzir, ir para estrada e tentar ser relevante dentro do estilo de música que a gente gosta, que é o Death Metal.

Heavy Metal Online – Qual o objetivo da banda a curto e longo prazo com esse retorno?

Fabiano Penna – Já estamos bem satisfeitos em estarmos aptos a trabalhar juntos de novo, que é o mais importante. Estamos criando o conceito do disco novo, já gravando as primeiras idéias, e esboçando um cronograma para os próximos meses. Como moramos distantes um do outro, vai ter uma logística para a gente trampar, mas é viável. Queremos gravar o disco novo até no máximo Março do ano que vem para lançar ainda no primeiro semestre e a partir disso partir para os shows.

“Pintaram umas oportunidades legais para cair na estrada no Brasil, mas resolvemos priorizar no disco”

Pintaram já umas oportunidades legais para cair na estrada no Brasil, mas resolvemos priorizar no disco e fazer tudo com esse novo álbum na mão. Os próximos meses vão ser de muito trabalho. A gente produzindo um disco de qualidade que faça jus ao nome que construímos no passado, vai nos abrir muitas portas e consequentemente nossa caminhada vai mais longe.

Heavy Metal Online – O que os fãs podem esperar, em termos de sonoridade, do novo trabalho da banda previsto para 2016? Algum detalhe sobre o início do processo de composição para nos revelar?

Lohy Fabiano – Posso afirmar que podem esperar brutalidade pura. Música extrema sem frescura, sem edições desonestas, sem soar plastificado e fortemente influenciado pelos ícones do gênero.

Sabemos que o ‘Annihilation’ mostrou o que mais extremo e obscuro a banda poderia soar naquela época. E ele foi gravado em 2001. Esse disco novo virá para transcender o conceito do ‘Annihilation’ e mostrar um Rebaelliun mais brutal e mais extremo, mas com a dinâmica e precisão que sempre foram a característica da banda. Vamos começar o processo de composição e esperamos em breve mostrar o material novo.

Ronaldo Lima – Para aqueles que apreciam nossa música quero dizer que o Annihilation foi apenas o início de uma evolução musical natural decorrente de muito trabalho, dedicação, ensaios, busca por sonoridades extremas e do amadurecimento de uma forma de expressão extremamente agressiva e brutal que representasse fielmente a identidade musical da banda.

Os trabalhos que lançaremos a partir de agora, darão continuidade e seguirão evoluindo e amadurecendo os conceitos lançados no Annihilation (há quase 14 anos atrás) e que ainda soam atuais hoje. O processo de composição está apenas no inicio e continuaremos mantendo o nosso “modus operandi” habitual: eu e o Penna nos focamos na estrutura da música e na elaboração dos riffs, criando uma base para os arranjos que serão criados juntamente com o resto da banda.

Heavy Metal Online – A banda lançou seus discos anteriores no final dos anos 90 e início dos anos 2000, época em que a Internet não era tão disseminada e a divulgação das bandas muitas vezes era precária e pouco abrangente. Qual o tipo de “cenário” que vocês imaginam encontrar nos dias atuais? Como lidar com a popularidade da Internet em prol do Rebaelliun?

Fabiano Penna – Sim, a gente trabalhou bastante pela Internet durante a existência da banda, mas não existiam redes sociais, nem Youtube eu acho. A dinâmica era outra, a rede não era esse lugar tão vivo quanto é hoje, que não pára nunca. Acho que vai ajudar, já está ajudando. Fica mais fácil e rápido atingir as pessoas, ter uma noção do feedback do trabalho, fazer os contatos.

Ronaldo Lima – Definitivamente, o cenário mudou drasticamente se o compararmos ao daqueles dias no final dos anos 90. Com o advento da internet e da conseqüente revolução na comunicação que o sucedeu, hoje as bandas têm a possibilidade de divulgar seu trabalho em outro nível, atingindo um publico muito maior e de forma global.

Por outro lado, ocorre que se você tem muitas opções de escolha e muita informação disponível, fica difícil de decidir entre aquilo que de fato merece sua atenção e o que é redundante, já que as fórmulas tendem a se repetir.

Esse é o cenário como o vemos hoje: competitivo e sedento por uma revitalização e revolução no estilo! Neste contexto consideramos que o Rebaelliun tem ainda muito a dizer no que se refere às possibilidades musicais que a música extrema pode agregar e à expansão de seus horizontes sonoros.

De outra forma não faria o menor sentido estarmos de volta à ativa. Agora, para divulgar nossa música e compartilhar nossa visão de mundo da forma mais abrangente possível, sem dúvida, utilizaremos todos os meios possíveis. mídias e tecnologias que estiverem a nossa disposição.

Heavy Metal Online – Você considera que os fãs de Metal nos dias de hoje estão cada vez mais divididos em subgêneros, diferentemente da década de 90? De um modo geral, o que mudou no fã de música pesada se levado em conta o momento atual do underground brasileiro?

Fabiano Penna – Naquela época já tinha isso, aqui no Brasil principalmente. Lá fora sempre foi de boa, lembro que fizemos uma turnê só com bandas de Black Metal (Limbonic Art, depois Ancient) e fomos bem recebidos, vendemos bastante merchandising etc. Então acho que rola mais no Brasil.

E acho que já foi pior, quando vou a shows aqui em São Paulo encontro fã de Death Metal em show de Black Metal, fã de Black Metal em show de Thrash Metal, casts variados justamente para atrair mais gente. É tudo Metal, é tudo som underground, tem que agregar e aí a coisa vinga. Já tem uns 5 anos que não subo em um palco, então estou falando mais como fã que vai a shows e analisa assim, mas de repente tenha outra visão quando a gente voltar pra estrada.

Lohy Fabiano – Sim, essa é uma realidade. Conforme os anos vão passando, mais subgêneros surgem e mais classificações aparecem para dividir os fãs. Essa é a realidade que vivemos.

Realmente, na década de 90 eram poucas os subgêneros. Mas no fim das contas, é tudo originário do Metal. Então não nos preocupamos muito com classificações. Podem surgir milhares de subgêneros. O Rebaelliun sempre será uma banda de Death Metal, pura e simplesmente. Se formos falar de Brasil, há uma brutal diferença. Hoje é tudo mais fácil com a internet, e o poder aquisitivo, que apesar de estar muito longe do justo, ainda assim é muito melhor do que no início dos anos 90.

Aquela era uma época em que nos reuníamos nas casas dos amigos para ouvir um som, trocar material, e etc. Tudo era mais “orgânico”. E era suado para conseguir os plays importados. Só gravação de cassete, e olhe lá. Hoje qualquer um pode ter uma discografia de uma banda, completa no seu smartphone, apenas com um clique.

Se ouve música sozinho, no seu MP3 player, seu computador, ou celular. Essa facilidade se reflete no valor que algumas pessoas dão para as bandas e para música em geral. Ouvir música se tornou uma atividade solitária. A maneira de se apreciar música mudou de forma geral. É necessário se adaptar e entender essas mudanças, sem perder as referências, as origens e sem esquecer o passado que nos formou e que nos trouxe até aqui.

Heavy Metal Online – Agradecemos a atenção e desejamos sucesso com o retorno das atividades. Deixe um recado para nossos leitores. Valeu!

Fabiano Penna – Só tenho a agradecer por essa que é a primeira entrevista que damos em nome do Rebaelliun desde 2002. E agradecer a todos que se manifestaram desde o dia que anunciamos a volta, e não foi pouca gente. Superou e muito as nossas expectativas. Disco novo sai em 2016, queremos anunciar detalhes sobre isso nas próximas semanas e vamos trabalhar para voltar a ser uma banda da estrada, que foi o que nos deu tudo que conquistamos lá atrás. At war!!!

Lohy Fabiano – Queremos agradecer ao Heavy Metal On Line pelo apoio e espaço, e a todos que se manifestaram e entraram em contato conosco por email e pelas redes sociais e que mesmo antes do anúncio da volta sempre apoiaram o Rebaelliun e o metal extremo no Brasil e em outros países. Sem vocês conosco, essa volta seria inviável.

Em breve estaremos com o nosso site oficial no ar e lá poderão encontrar merchandise, e todas as informações da banda . Acompanhem o Rebaelliun pelo Facebook e nas demais redes sociais.

Aguardem o disco novo em 2016 e uma nova tour, pois o Rebaelliun está de volta pra terminar o que havia começado. Aniquilação total!

Ouça a faixa ‘Rebellious Vengeance’, do último disco “Anihiliation”:


Facebook Rebaelliun:
www.facebook.com/Rebaelliun

Tag:

Manaus: A FORÇA QUE VEM DO NORTE

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

Por que o METALLICA é tão grande ?

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

O MAL QUE NOS FAZ !

Back to Top