Bloody – Bloody

Post feito por Reynaldo Trombini

E para quem já acompanha a trajetória dos caras fica fácil saber que o grupo respira na fonte do Thrash Metal clássico, veloz e bem trabalhado. Tanto que essa aposta já rendeu a banda discos que chamaram a atenção em anos anteriores, como em “Engine of Sins” (2008), último play da trupe.

Para a nova empreitada a banda basicamente seguiu a mesma roupagem sonora vista em outras ocasiões, sempre buscando ao máximo soar empolgante, furiosa e direta! ‘Another Bloody Day’, ‘Vile or Divine’, ‘Cancro’ (cantada em português) são verdadeiras pedradas, regadas a uma avalanche de riffs e ‘cozinha’ sempre presente.

Os vocais de Paulo Tuckumantel urram sem parar e trazem uma atmosfera insana para as faixas do Bloody, sempre carregadas de um instrumental seco, puro e por vezes com boa dosagem de técnica por parte de seus instrumentistas. Falando nisso, ‘Pride’ e ‘Fuel to my Head’ são duas canções que comprovam isso, pois contam com trabalho esplendoroso das baquetas de Augusto Asciutti, além de mostrar riffs que certamente grudarão em sua cabeça!

“Bloody”, em resumo, é um disco para quem aprecia o underground nacional e prima por canções honestas, sem muitas firulas e com produção certeira. Esses paulistas já vêm trabalhando não é de hoje: o resultado está aí, mais um capitulo dedicado ao Thrash Metal de forma categórica.

Tudo em “Bloody” é feito com capricho e música pesada correndo nas veias, pode aumentar o volume, sem arrependimentos, você está diante de um dos nomes mais representativos do Thrash nacional!

Bloody – Bloody

Another Bloody Day
Vile or Divine
No Ammo
Cancro
Vengeance
Mind Over Mind
Pride
Fuel to My Head
Ruthless
Ouça a faixa ‘Cancro’:

Tag:

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top