As Dramatic Homage – Crown

Post feito por Leandro Vianna

Musicalmente, Crown é um trabalho muito abrangente, já que abarca uma variada gama de vertentes dentro do Metal.

Por algum motivo, ainda existem muitos headbangers por ai que teimam em questionar a qualidade do Metal feito no Brasil. Por mais que insistam em não enxergar, as bandas de qualidade que temos por aqui não ficam nada a dever se comparadas com boa parte daquelas vindas do exterior e que fazem “sucesso” por aqui. Vou além e digo que em diversos casos, são até superioras as mesmas.

Esse é o caso do A Dramatic Homage, banda surgida no ano de 1999, no Rio de Janeiro e que em 2012 lançou Crown, seu debut. Aqui quase tudo foi feito pelo batalhador Alexandre Pontes, que além de ser o vocalista, gravou as guitarras e programou a bateria. Só não foi um trabalho típico de uma One Man Band porque o mesmo contou com as participações de Alexandre Martins no baixo e Eliebert Nunes e Rômulo Pirozzi (que produziu o trabalho junto com Alexandre), que gravaram algumas guitarras adicionais.

Musicalmente, Crown é um trabalho muito abrangente, já que abarca uma variada gama de vertentes dentro do Metal. Unindo elementos de Black, Death Melódico, Doom e Progressivo, acabam por gerar uma sonoridade que fica impossível de ser rotulada e difícil de traçar um paralelo com alguma outra banda. Talvez o exemplo mais próximo aqui seja o Vintersorg, mas ainda sim o A Dramatic Homage passa longe de ser uma cópia do mesmo.

Variedade é realmente a palavra chave aqui. Ela esta presente nos vocais, que vão desde tons mais limpos e melódicos até os guturais típicos de vertentes mais extremas, assim como no andamento das músicas. Sendo assim, em uma mesma composição, podemos ter passagens mais velozes e outras mais cadenciadas, assim como alguns momentos mais agressivos, outros sombrios e até mesmo mais viajantes e introspectivos, com direito inclusive a presença de elementos acústicos. As letras são outro ponto de destaque. Em um mundo onde muitos têm tão pouco a dizer, o conteúdo filosófico/existencial aqui presente, surge como um oásis meio ao deserto.

Crown é um trabalho muito homogêneo, mas ainda sim podemos destacar aqui “Monumental”, “Awake to the Twilight”, “The Icon Omnipresent”, “Redemption” e “Idyllic” como melhores composições.

Como já dito mais acima, a produção ficou a cargo de Alexandre Pontes e Rômulo Pirozzi e possui boa qualidade, tendo deixado todos os instrumentos 100% audíveis, mas sem tirar o peso da música do A Dramatic Homage. Já a parte gráfica é muito bonita e bem feita, pecando apenas por não possuir as letras.

Mostrando variedade e principalmente, uma bela dose de originalidade, Crown se mostra um belo trabalho de estréia e que mostra uma banda com um potencial latente de crescimento, podendo alçar voos altíssimos. No momento o A Dramatic Homage está trabalhando em seu segundo álbum, que deve sair em breve e levando em conta o que escutamos aqui, a expectativas são as melhores possíveis.

As Dramatic Homage – Crown (2012)

(Independente – Nacional)

01. Lesssons

02. Monumental

03. Awake to the Twilight

04. The Icon Omnipresent

05. Journey Inside

06. Redemption

07. Idyllic

08. From the Battle of Pain

09. The Age of Transition

Ouça a faixa ‘Idyllic’:

Manaus: A FORÇA QUE VEM DO NORTE

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

Por que o METALLICA é tão grande ?

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

O MAL QUE NOS FAZ !

Back to Top