Músico, quer alçar vôos mais altos e crescer no seu instrumento? Busque informações sempre!

By: Vitor Rodrigues

Semana passada compartilhei um post do vocalista Tico Santa Cruz da banda Detonautas. Na verdade o texto no qual ele discorreu foi uma matéria no site G1 onde salientava-se que o rock nacional sumiu do top 100 anual das rádios do Brasil resultando no domínio do sertanejo no país.

Nunca fui fã dele ou da música que ele faz, mas algumas coisas me deixaram inquieto nessa busca incessante do porquê do rock pesado não está em primeiro lugar ou entre os primeiros. Não no sentido competitivo, mas como parte de uma sociedade.

O começo da década de 80 tive o prazer de viver uma época que a grande maioria das rádios FMs tocavam muito rock nacional. Era comum encontrar Ultraje A Rigor, Titãs, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, Kid Abelha, o multi-platinado RPM, e tantas outras e hoje resume-se a um grande deserto.

Sim, os sertanejos têm dinheiro, e não é pouco não, e obviamente quem tem o poder monetário consegue muita coisa, até mesmo colocar seus “afilhados” em canais de TV, shows pelo Brasil inteiro e sempre investindo no “produto”.

Bom, o que me chamou mais a atenção, no texto dele, foi o fato de que bandas não possuem a capacidade de administrarem suas carreiras. Não sou vitimista, e nem pretendo ser, mas isso é uma falta de informação muito grande porque há pessoas engajadas, trabalhando, errando e acertando, e o que nos falta são condições de se trabalhar. E se não temos as condições, não descançaremos até achá-la.

Um grande exemplo disso está sendo o guitarrista Kiko Loureiro. Na adolescência enquanto muitos iam jogar uma bola na rua, o cara estava lá tocando a sua guitarra. Claro que tudo é questão de escolhas, e naquele momento ele tinha feito uma escolha, ou seja, aos poucos foi criando condições para que ele crescesse não só no cenário da música pesada internacional, mas acima de tudo como pessoa.

Hoje, guitarrista de uma das maiores bandas de thrash metal no planeta, Kiko coloca em seu canal do YouTube dicas preciosíssimas sobre administração de carreira, como funciona a banda dentro e fora do palco, instrumentação, e esse tipo de atitude é inspirador. Você músico de talento e de garra, quer alçar vôos mais altos e crescer no seu instrumento? Busque informações sempre!

Qual o resultado disso? O mundo metal nacional cresce e se torna indepedente porque, no momento, não dá pra disputar com o mundo milionário do sertanejo no Brasil, mas lentamente e silenciosamente vamos crescendo no nosso mundo.

É a tríade do sucesso: Público, bandas e promotores funcionando em harmonia. Quando uma dessas funciona mal, ou decepciona pode ter certeza que a coisa complica. Foi o caso do cancelamento do show do Exodus em Fortaleza.

Independente do motivo, a verdade é que fica um sentimento de decepção, pelo menos não foi maior porque bandas como Krisiun, Vulcano, Metacrose e Siege Of Hate fizeram seus sets com muita garra.

Portanto…

Público: Compareçam nos shows! Apóiem as bandas! Busquem informações sobre elas! Bandas: Se cantam em inglês procurem saber mais da língua estrangeira, aprendam bastante, procurem patrocínios de marcas boas para que elas possam mostrar seu trabalho de uma maneira que você quer.

Promotores de shows: Planejem o evento com antecedência. Tenham sempre uma quantia para emergências, respeitem banda e público, sejam profissionais ao extremo. O recado NÃO É pra alguém específico, e NUNCA será. Isso é apenas uma forma de alertar para que a gente desenvolva mais profissionalismo em todos os setores, quem vai ganhar com isso serão as bandas, o público e os promotores de eventos!

Obs.: Primeiro post do ano, e quero agradecer imensamente a todos que me apoiaram, e continuam me apoiando. Estamos aqui pra discutir ideias sempre com respeito e gratidão.

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top