AI-5: pioneiro do punk brasileiro solta vídeo do show de retorno

Post feito por Reynaldo Trombini

Um dos pioneiros do punk rock no Brasil, o AI-5 realizou em 1978, ao lado do Restos de Nada, o primeiro show do estilo em um porão de uma padaria abandonada, localizada no Jardim Colorado, em São Paulo. Agora, quase quarenta anos depois, a mesma dupla relembrou a marca. O show, realizado no SESC Pompeia em 24 de novembro, foi o primeiro do AI-5, atualmente formado por Enio “Memmeth Pesteaux” Pereira (vocal), Fausto Celestino (guitarra), Fábio Rodarte (baixo) e Marcelo Ladwig (bateria), desde 1978. Assim, uma série de vídeos ao vivo, com os áudios gravados dessa apresentação, está sendo preparada pela banda, que apresenta agora o primeiro deles para a música “Sem Deus”.

“O AI-5 voltou para ficar e não apenas para o relançamento da demo-tape em CD pela Baratos Afins. Agora, além destes vídeos ao vivo, haverá a composição de material inédito, comemorando os 40 anos de fundação da banda”, revelou Fausto Celestino. “Estão nos planos o lançamento de um single com duas músicas, além de um novo álbum até o final de 2018”, acrescentou.

Formado em 1978, o AI-5 se destacou com a música “John Travolta”, uma sátira sobre a onda disco music que imperava na época. “John Travolta” se tornou um hino cult do punk no Brasil, sendo gravada em 1995 pelo Ratos de Porão em “Feijoada Acidente?”, além de fazer parte da trilha sonora do documentário “Botinada: a Origem do Punk no Brasil”, produzido por Gastão Moreira. “Odiávamos aquela moda da disco music e criamos a música como forma de protestar. Na verdade, éramos completamente fora de todo tipo de modinha”, observou o guitarrista e um dos fundadores do grupo, que teve vida curta e encerrou as atividades apenas um ano após sua criação.

O retorno à ativa trouxe também o já citado relançamento de uma demo gravada no carnaval de 1980, meses após o fim da banda. “O CD, lançado pela Baratos Afins em 7 de setembro, foi o primeiro impulso, mas nós vamos tirar esse atraso. Quarenta anos depois, mas vamos!”, concluiu Celestino.

 

Foto: Wladimir Raeder

Fonte: ASE Music

Tag:

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top