Havok e Nervosa em BH: expoentes da nova geração que nada devem a veteranos!

By: Reynaldo Trombini

Já há alguns anos nomes interessantes da nova safra da música pesada se apresentam ao underground com bons trabalhos e diversos shows pelo mundo. Estes, certamente, são os casos dos americanos do Havok, banda formada em 2004, e das meninas da Nervosa, banda brasileira formada em 2010!

A dupla dedicada ao Thrash Metal realizou três shows pelo Brasil e Belo Horizonte foi uma das rotas na saideira da tour, que contou ainda com passagens em São Paulo (15/06) e Recife (16/06).

 

Nervosa: Thrash Metal violento e cada vez mais consistente!

Não é de hoje que as garotas do Nervosa vêm se destacando na cena brasileira devido a boa qualidade dos discos “Victim of Yourself” (2014) e “Agony” (2016). Os bons resultados destes trabalhos tem rendido a banda uma agenda lotada de shows, inclusive no exterior.

Para a apresentação em BH a banda trouxe petardos tradicionais, além de divulgar canções do mais recente play, o consistente “Downfall Of Mankind”, de 2018. E como já era de se esperar, não faltou vigor ao trio Fernanda Lira (vocal e baixo), Prika Amaral (guitarra) e Luana Dametto (bateria). Todas tiveram extrema facilidade em agitar o público presente naquela noite!

O Thrash Metal veloz, técnico e furioso não cessou ao longo das faixas que passearam por toda a trajetória da banda, mesmo priorizando a divulgação do último trabalho. Deste disco, ‘Horrordome’ e ‘…And Justice For Whom?’, fizeram a dobradinha de abertura do set e muitas outras viriam pela frente!

É notório que algumas canções do grupo já estão na boca da galera, caso da grudenta ‘Death’, do conhecido “Victim of Yourself” (2014). Os riff’s velozes, o refrão cantado à exaustão e o bom entrosamento da cozinha com baixo e bateria ditaram o ritmo dessa faixa, que já possui um clipe com quase 2 milhões de visualizações no Youtube! Os solos de Prika Amaral e as batidas precisas de Luana Dametto também fizeram os bangers agitarem tanto em canções saindo do forno como em ‘Enslave’ e até mesmo na faixa mais antiga da banda, devidamente anunciada por Fernanda Lira, caso de ‘Masked Betrayer’.

Daí para frente, já com as cartas na mesa, coube aos bangers mineiros apreciarem cada minuto de um Thrash Metal raivoso e cada vez mais consistente, que veio com o decorrer do set! Vários pontos positivos ecoam à favor das garotas, como por exemplo, a boa presença de palco de Fernanda Lira, que com performance teatral, se torna uma atração à parte!

 

Havok: caminhando a passos largos rumo ao topo do underground mundial!

Foi com status de Headliner que os americanos do Havok pisaram em terras mineiras para divulgar o seu Thrash Metal devidamente registrado em trabalhos como “Time is Up” (2011), “Unnatural Selection” (2013), além do recente “Conformicide” (2017).

Para quem acompanha à fundo o underground pelos quatro cantos do planeta é evidente a ascensão dos caras, que ano após ano figuram nos meios especializados sempre com boas referências. Sorte do público belorizontino que acompanhou um show vigoroso, sem firulas e regado a Thrash Metal oitentista, com arranjos velozes, solos de guitarra marcantes, carisma de sobra e muito mais!

‘Prepare For Attack’, ‘Covering Fire’ e ‘Point of No Return’ foram alguns dos ápices da apresentação. O bom momento da banda em estúdio também é evidenciado ao vivo, afinal, os músicos mostraram sua qualidade a cada canção e ainda puderam contar com uma plateia ativa e eufórica por Metal!

E foi fazendo o que tinha que fazer, direto ao ponto, que a banda comandou ainda faixas como “Intention to Deceive”, do recente full lenght, para fisgar a atenção da plateia. Claro, como era de se esperar foram devidamente retribuídos! Ao fim da apresentação ainda sobrou tempo para uma resenha com os fãs.

Em resumo, o shows dos caras em terras mineiras veio para provar que a boa fase vivida pela banda não é por acaso. Para os aventureiros que ainda não puderam conhecer o som dos americanos, valeu a chance de estar cara a cara com um nome promissor do Metal mundial! O que esperar dos próximos capítulos desta jornada?

 

Texto: Reynaldo Trombini
Fotos: Iana Domingos

Tag:

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top