Children Of Bodom: “não temos mais 25 anos”, diz Alexi Laiho

Post feito por Gisela Cardoso

Lords Of Metal: Seu DVD ao vivo mostrara que vocês se divertem muito. Houve muitas festas acontecendo lá…

Alexi: Isso foi nos bons e velhos tempos [Risos].

Lords of Metal: Vocês não fazem mais isso?

Alexi: Sim, mas, só que não temos mais 25 anos. As coisas mudam, ainda temos muita diversão, mas era muito louco antigamente, cara. Mas…

Lords Of Metal: Espere, então você começou a pegar mais leve? Por quê?

Alexi: É que quando você fica mais velho, o seu corpo não pode seguir o mesmo ritmo de quando tinha vinte e poucos anos, sabe. Ter ressacas violentamente brutais, por exemplo, eu simplesmente não consigo mais lidar com isso, cara. Comecei a sentir, no meio da turnê, que não quero sair do palco mais.

Eu sempre fiz o meu trabalho, mas simplesmente não gostei tanto quanto deveria. Então, quando algo assim acontece, eu me sinto muito mal sobre mim mesmo. Tive que me cuidar melhor e certificar de que me sinto 110% quando estou no palco, porque é isso o que eu faço, é o meu trabalho, é a minha vida.

Então, eu não posso deixar que nada e nem ninguém fiquem no caminho, especialmente não beber, ou qualquer coisa assim. Realmente eu não bebo mais quando tenho um tempo livre na turnê.

Lords of Metal: Nem um pouco?

Alexi: Dificilmente. Eu poderia tomar algumas cervejas, mas é apenas isso.

Lords Of Metal: E você consegue manter isso? Não há nenhuma tentação?

Alexi: Não, não, não. De modo nenhum. Era um pouco estranho no começo. A primeira turnê, que fiz depois que decidi em fazê-la sóbrio, foi realmente estranha. Eu sempre era o mais louco. E, de repente, eu não sou mais aquele louco e, para mim, foi muito complicado, pois isso era uma parte da minha pessoa. Mas, depois que você faz algumas datas sóbrio, você meio que se acostuma com isso. Eu estou gostando muito.

Ficar sóbrio no palco é muito mais divertido. Eu nunca fiquei bêbado antes do show, eu apenas precisava relaxar. Funciona para mim, todo mundo faz isso. Eu sempre fui um cão da estrada e eu sempre serei. Se eu bebo ou não tem nada a ver com isso.

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top