Produtora 4U explica cancelamento de show do Exodus em Fortaleza

Post feito por Reynaldo Trombini

Nota de Esclarecimento do cancelamento do show do Exodus:

A Produções 4U surgiu em 2015 trazendo a Fortaleza grandes bandas como Cannibal Corpse, Testament, Tarja Turunen, Nightwish, Sonata Arctica e Tim Ripper Owens, sendo este último artista levado também ao público de Teresina, Recife e Mossoró pela produtora cearense.

Essa curta história no metal cearense, porém, também conta um episódio isolado e lamentável. Esta nota vem esclarecer os fatos ocorridos no último dia 22 de janeiro, no Fortaleza Open Air e nos dias que antecederam o evento.

Exodus

A Exodus foi contratada por intermédio da Liberation Music Company, que tratava diretamente com os representantes da banda. Em todas as oportunidades pré-show, lidamos diretamente com a Liberation MC, responsável pela produção de shows da banda em São Paulo e Rio de Janeiro.

O valor do cachê fechado para a Exodus a ser pago em três parcelas. O show foi anunciado dia 15 de novembro durante o show do Cannibal Corpse e Testament. A primeira parcela foi paga no dia 18 de dezembro de 2015, a segunda em 15 de janeiro de 2016 e a terceira parcela seria paga até o momento em que o Exodus subisse ao palco para executar o show. A banda chegou a Fortaleza no dia 22 de janeiro, por volta das 15h45min e seguiria para Manaus por volta das 4h40min do dia seguinte. Ficando marcado o show para iniciar a 1h15min da manhã.

Chegada a Fortaleza e os preparativos para o show
Na chegada, a Produções 4U já contava com todo o dinheiro necessário a quitar a terceira parcela do pagamento, a ser realizado conforme explicitado anteriormente. Em Fortaleza, o Tour Manager, responsável por liderar a equipe na turnê da banda no Brasil, começou a fazer diversas exigências, ameaçando cancelar o show se não fossem atendidas.

Entre essas exigências, a mudança do horário do show, prevendo encerramento para 1h. Tal alteração seria impossível, pois acarretaria mudanças com o que já estava acertado com as outras quatro atrações. À tarde, a Praça Verde foi fechada para os músicos, mas a banda não foi ao local passar o som, algo incomum a qualquer banda que está prestes a executar um show.

A equipe técnica do Exodus voltou à Praça Verde por volta das 21h. Como não havia nenhum posicionamento dos managers quanto ao horário da chegada ao local, estando o show previsto para 1h15min, os camarins do Exodus não estavam abastecidos. Mesmo assim, solucionamos o problema às 22h. Enquanto isso, os camarim da banda Krisiun, que se apresentaria antes, estava abastecido e em plenas condições de uso.

A decisão do Exodus

Às 22h, a equipe técnica já havia desmontado todo o palco da banda. Uma atitude bastante precipitada, séria e tomada sem notificar a produção. Nos bastidores, a Liberation MC conversava com os chefes do Tour Manager (por e-mail) reiterando que a Produções 4U tinha todo o dinheiro que faltava e que o show deveria ser executado. O chefe do Tour Manager respondeu os e-mails à Liberation MC afirmando que o pagamento deveria ser recebido e o show realizado.

Porém, o Tour Manager e a equipe da banda já havia retirado todo o equipamento e se encaminhou ao hotel, mesmo sabendo que o camarim estava abastecido e todo o dinheiro para execução do show estava confirmado. Lá no hotel, a Produções 4U reiterou a solicitação para que voltassem ao palco, lembrando ao Tour Manager do Exodus que ele deveria cumprir as ordens de seu coordenador, repassadas à Liberation MC por e-mail: receber o pagamento e realizar o show. A inflexibilidade do Tour Manager chegou inclusive a preocupar a Liberation MC, que em um dos e-mails avisa ao chefe do representante da banda na turnê que a polícia poderia ser acionada caso a Exodus não tocasse e, assim, o show de Manaus seria comprometido.

A decisão do Tour Manager (em nome da banda) foi de não receber o dinheiro e não fazer o show.

Saída repentina do hotel e confusão na Praça Verde

Enquanto a Produções 4U negociava até o último minuto com o Tour Manager o retorno da Exodus, vazou a informação de que a banda não faria o show, ainda durante o show da Vulcano, provocando o início das insatisfações e do vandalismo na Praça Verde. Um produtor tentou dialogar com o público, mas já era tarde.

Após a decisão de não fazer o show, a equipe da banda Exodus abandonou o hotel às pressas e seguiu para o aeroporto, deixando de pagar as despesas com frigobar, as quais não estavam inclusas, dos diversos quartos ocupados pela equipe da banda. Até funcionários do hotel tentaram impedir a saída repentina.

Ressarcimento

Mesmo com todo o evidente prejuízo causado à empresa pelo evento, a Produções 4U acredita que todos os clientes que se sentirem prejudicados deverão ser ressarcidos na medida de seu prejuízo, visto que das cinco bandas previstas, quatro se apresentaram normalmente.

Estamos estudando a melhor maneira de realizar esse reembolso e, nos próximos dias, vamos informar em nossos canais e na imprensa as formas de efetuá-lo. Por razões óbvias, o reembolso em dinheiro é certamente uma das opções, podendo os fãs ficarem tranquilos quanto a isso.

É lamentavelmente após esses ocorridos estamos repensando até onde iremos com nossos serviços. Juntos realizamos grandes shows com grandes bandas. Mas, bastou um acontecido não acometido por nós e fomos crucificados. De toda forma estamos a disposição até o fim para auxiliar todos os prejudicados.

Facebook da produtora 4U:

https://www.facebook.com/Producoes4U

Tag:

Manaus: A FORÇA QUE VEM DO NORTE

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

Por que o METALLICA é tão grande ?

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

O MAL QUE NOS FAZ !

Back to Top