Bruxaria e sororidade em clipe da banda carioca Venuz

A mística feminina é o principal tema do clipe “Deixa Ela Entrar”, da banda Venuz. Como bruxas do subúrbio carioca, em uma das principais cenas do clipe, ao redor de uma mesa, elas consagram imagens de mulheres poderosas que vieram antes delas, entre elas Isabel Bathory, conhecida como Condessa de Sangue. O vídeo é dirigido pela dupla Bruna Santiago e Felippe Ferreira. A música faz parte do EP, “Rebela” (2018). “Foi um clipe totalmente diferente do que estamos acostumadas a fazer, devido ao fato de não ter cenas nossas tocando, o foco é no roteiro. Trata-se de uma estória que aborda a questão do poder feminino, da sororidade e espiritualidade da mulher. Com esse novo projeto pretendemos impactar o público através da qualidade da apresentação. Até os aspectos mais minuciosos foram elaborados com zelo total para que tivéssemos um resultado exatamente como esperávamos”, comemora Carol Vianna, baixista da Venuz. Uma sociedade secreta composta apenas por mulheres. Liderada por uma matriarca, responsável por nomear novas integrantes do clã, batizá-las e repassar os ensinamentos. É em uma missão convocada pela matriarca que tudo acontece: chegou a hora de passar adiante o bastão de líder do coven e recrutar novas integrantes. Após uma reunião entre as cinco e o batizado de fogo, elas decidem no fim do ritual quem será designada para ser a nova matriarca. A já mencionada Isabel Bathory, é uma entre tantas mulheres vistas de relance no clipe. Encontramos referências a Marielle, Olga Benário, Clarice Lispector, Lucrézia Bórgia, Joana D’arc e Marilyn Monroe: “Várias facetas de mulheres incompreendidas e desmerecidas pela história por serem mulheres, mas donas de poder, beleza, inteligência. Foi um homenagem pra quem sofreu por ser mulher, pra quem não teve tanto direito de voz. Acho que essa é a principal ideia de deixa ela entrar, mostrar que juntas somos mais fortes”, define Aila Dap. Em “Deixa Ela Entrar”, todas as integrantes da Venuz participam como atrizes: Aila Dap (voz), Jack Foster (guitarra), Juliana Valente (bateria), Renata Guterres (guitarra), além de Carol. A quantidade de mulheres na frente da câmera não poderia ser mais correta. A letra […]