Dorsal Atlântica – Imperium (2014)

Post feito por Leandro Vianna

Falar da Dorsal Atlântica é falar da figura de Carlos Lopes. Falar de Carlos Lopes é falar da história do Metal no Brasil. A verdade é que dificilmente conseguimos desvincular a imagem da Dorsal da figura de seu líder e mentor.

Falar de Carlos e da banda que capitaneia, também é falar de polêmica e controvérsia, já que se trata de uma pessoa de idéias e convicções fortes, não tendo medo de expressá-las em entrevistas ou mesmo nas letras que escreve. Mas acima de tudo, falar dos dois é falar de Metal de qualidade.

Responsável por clássicos do Metal Nacional, como Ultimatum (85), Antes do Fim (86) e Dividir e Conquistar (88), a verdade é que não se esperava um novo trabalho da Dorsal após 2012 (12), o tão propagado e anunciado último álbum da banda, lançado através de uma campanha de financiamento coletivo entre seus fãs.

Mas felizmente, eis que surge Imperium, uma Ópera Metal que trata da Monarquia no Brasil e traça paralelos entre essa época e o período atual (como podemos ver na letra da faixa título) de forma bem interessante.

Devemos lembrar que esse conceito de Opera Metal não é uma novidade na história da banda, já que possuem uma trilogia, Searching For The Light (89), Musical Guide From Stellium (92) e Alea Jacta Est (94), que segue justamente essa linha. Assim como em seu último álbum (que acabou não sendo o último), o lado Metal da Dorsal é mais explorado, o que não significa que suas influências Punk/Hardcore foram ignoradas.

Essa é uma marca registrada da Dorsal e isso nunca vai mudar. Como não poderia deixar de ser, Imperium é carregado de riffs certeiros e rápidos, além é claro de muita agressividade. Aqui não tem espaço para frescura e tudo acaba soando bem direto e sem enrolação.

Durante a audição do trabalho, o ouvinte mais atento irá perceber que o trio original, formado por Carlos, Claudio Lopes (baixo) e Hardcore (bateria) está mais afiado do que nunca e que conseguiram dar uma cara atual a música do grupo, mas sem perder as características que sempre marcaram sua carreira. Destaques para “Imperium”, “Amaldiçoados”, “Mestres (Ficam Cegos, Surdos São os Servos)”, “Grotesca Essa Terra É”, “Centro, Direita, Esquerda” e “Vos Perdôo Me Perdoem”.

O trabalho é bem produzido e tudo soa muito heterogêneo, complexo e atual. A apresentação também é muito legal, pois o cd vem encartado em uma capa dupla para compacto, dando a impressão que se trata de um vinil. Muito bem bolado.

Mostrando a competência de sempre e deixando claro que ainda tem muita lenha para queimar, a Dorsal Atlântica mostra que ainda pode prestar serviços para lá de relevantes ao nosso Metal. Que Imperium não seja o último álbum da banda, mas se o for, fecharam seus mais de 30 anos de história com chave de ouro.

Dorsal Atlântica – Imperium (2014)

01. Ave Imperium (Intro)
02. Imperium
03. Amaldiçoados
04. Mestres (Ficam Cegos, Surdos São os Servos)
05. Crise (Anunciada Antes da Verdade Revelada)
06. Grotesca Essa Terra É
07. Centro, Direita, Esquerda
08. Deus Que Dança
09. Perfídia
10. Exilium
11. Vos Perdôo Me Perdoem
12. Ave Imperium (Grand Finale)

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

EVOLUÇÃO NO HEAVY METAL

Back to Top