Com casa cheia, Accept dá aula de Heavy Metal em BH!

Post feito por Reynaldo Trombini
Compartilhe este conteudo

Um dos grandes expoentes do Heavy Metal tradicional anunciou passagem pelo Brasil em 2024 e BH, considerada capital do Metal, fez parte da tour e recebeu a banda alemã Accept. A banda, formada em 1976, veio divulgar seu mais recente trabalho, “Humanoid” (2024), nada menos que seu décimo sétimo registro de estúdio.

O convocado para abrir a festa foi o Hellway Train, banda belorizontina, que vive boa ascensão no cenário nacional e aproveitou a oportunidade para divulgar seu primeiro disco de estúdio, “Boderline” (2024), sucessor do EP de estreia “Lockdown Reborn” (2020).

Hellway Train confirma ascensão com show vigoroso e autêntico!

Se existe uma banda ideal para abrir um show do Accept em terras mineiras, esta banda é o Hellway Train, já que a trupe é de Belo Horizonte, explora o Heavy Metal tradicional e transformam suas apresentações ao vivo uma verdadeira festa com inúmeras boas influências.

Ao longo das faixas ‘Hell on Earth’, ‘Born to Rock Hard’ e ‘Bounded to Devour’, o grupo trouxe momentos energéticos e influências de ícones como Judas Priest e até mesmo Accept. Em meio a um instrumental “oitentista”, Marc Hellway é um show à parte na linha de frente. O músico rapidamente atrai a plateia com performance teatral, dinâmica e vigorosa, além é claro, de garantir qualidade quando o assunto são os vocais da Hellway Train.

‘Out of the cellar’, ‘Metal Widow’ e ‘Gateways to Arkham Asylum’ mantiveram a atenção do público e mostraram que toda a ascensão da Hellway Train não é por acaso. O grupo vem fincando seu nome no underground nacional e, sem titubear, construiu um poderoso capítulo de sua recente história. Agora é aguardar o que vem por aí!

 

Accept reafirma posição entre os grandes do Mainstream com “Humanoid”, recente lançamento!

 

Eis que pontualmente, às 21h30, sobem ao palco Mark Tornillo (vocal), Wolf Hoffmann (guitarra), Uwe Lulis (guitarra), Joel Hoekstra (guitarra), Christopher Williams (bateria) e Martin Motnik (baixo). Logo de cara já apresentaram a dobradinha que abre o recente disco.

‘The Reckoning’ e ‘Humanoid’ já mostraram que mesmo recente, o novo trabalho já está na boca de boa parte dos fãs. Daí para frente o que se viu foi o que todo mundo esperava: Heavy Metal poderoso, passeio por diversas fases da discografia e sinergia ímpar entre banda e público.

‘Restless and Wild’, ‘Midnight Mover’ e ‘London Leatherboys’ foram as primeiras a resgatarem os grandes clássicos da década de 80 e, obviamente, alegraram os fãs mais conhecedores de toda a discografia dos alemães. Falar da qualidade dos caras ao vivo é praticamente chover no molhado: Wolf Hoffmann, Mark Tornillo e sua turma, beiram a perfeição quando se juntam ao palco.

 

Banda trouxe faixas de várias épocas de sua história!

E foi com um nível absurdo de qualidade que canções como ‘Breaker’, ‘Shadow Soldiers’ e a clássica ‘Princess of the Dawn’, por exemplo, ganharam versões caprichadas com três guitarras à todo vapor, exalando riff’s grudentos e solos que os fãs já sabem “na ponta da língua”.

Mark Tornillo fez boas interações com os fãs, usou e abusou de simpatia e vigor e, claro, não decepcionou com os microfones em mãos. A popular ‘Teutonic Terror’ e ‘Pandemic’, dupla do disco “Blood of the Nations” (2020), foi prova disto. A reta final do show guardou momentos esperados como a execução de um dos maiores clássicos da banda: a aclamada ‘Balls to te Wall’ agitou os quatro cantos da casa, bastante povoada, diga-se de passagem. Na sequência a veloz ‘Im a Rebel’ encerrou o set voltando ao ano de 1980, quando foi lançado o disco de mesmo nome.

Citar um ponto alto em um set rodeado de diversas fases da banda é uma tarefa difícil, mas é extremamente fácil perceber a quão boa fase vive o Accept! E falamos não apenas em estúdio com “Humanoid”, mas também sob o palco. O agora sexteto entregou um show do mais puro, clássico e verdadeiro Heavy Metal que, cá para nós, eles sabem como nunca fazer!

 

Set list Accept:
The Reckoning – Humanoid (2024)
Humanoid – Humanoid (2024)
Restless and Wild – Restless and Wild (1982)
Midnight Mover – Metal Heart (1985)
London Leatherboys – Balls to the Wall (1983)
Straight Up Jack – Humanoid (2024)
Dying Breed – Blind Rage (2014)
Zombie Apocalypse – Too Mean to Die (2021)
Demon’s Night / Starlight / Losers and Winners / Flash Rockin’ Man
Breaker – Breaker (1981)
Shadow Soldiers – Stalingrad (2012)
Frankenstein – Humanoid (2024)
Princess of the Dawn – Restless and Wild (1982)
Metal Heart – Metal Heart (1985)
Teutonic Terror – Blood of the Nations (2020)
Pandemic – Blood of the Nations (2020)
Fast as a Shark – Restless and Wild (1982)
Balls to the Wall – Balls to the Wall (1983)
I’m a Rebel – I’m a Rebel (1980)

Texto: Reynaldo Trombini

Fotos: Leandro Oliveira

 

COGUMELO RECORDS – 30 ANOS

O METAL RESGATANDO A NOSSA HISTÓRIA

O MAL QUE NOS FAZ !

Back to Top