Apresentação da 4ª edição do Angra Fest em São Paulo traz um Cast de peso e homenagens emocionantes

Clinger Carlos

Texto: Filipe Moriarty (Cedido em Parceria com Metal No Papel) – @filipemoriarty Fotos: André Santos  – http://@andresantos-mnp Realização: Angra – @angraofficial Parceria: Top Link Music – @toplinkmusic Press: Isabelle Miranda – @isabelemirandatv Aconteceu no ultimo dia 17 de março de 2023 o Angra Fest no espaço Terra SP ,na cidade de São Paulo, com um cast matador que trouxe bandas como Matanza Ritual, Viper, Malvada e o headliner da noite, Angra. O festival teve seu inicio as 19h, mas com a primeira banda no palco as 20h. O evento reuniu uma pequena multidão que lotou o Terra SP e mostrou o poder que o cast da noite tem para cultura popular.   Repleto de homenagens e muita nostalgia o festival foi organizado com intuito de abrir um espaço que misturasse estilos e celebrasse as diferenças dentro da subcultura do rock. A primeira banda da noite foi o quarteto feminino Malvada, liderado por Angel Sberse (vocal), Bruna Tsuruda (guitarra), Ma Langer (baixo) e Juliana Salgado (bateria).   A banda trouxe seu rock’n’roll e esquentou o público com seu setlist executando faixas do primeiro EP ( A Noite vai Ferver) e seu ultimo single “Perfeito Imperfeito”, além de um animado tributo ao Iron Maiden, tocando Wasted Years. O quarteto feminino mostrou muita personalidade e profissionalismo em sua apresentação. Seguindo a noite, após uma breve pausa para mudança de palco, o Viper da o ar de sua graça. Nascido em 1985 com sucessos como ‘Soldiers of Sunrise’ e ‘Theater of Fate’ o grupo possui uma qualidade musical acima da média, sem contar que foi a banda que revelou o lendário André Matos para o cenário musical. Considerada uma das grandes bandas de heavy metal nacional a banda hoje é composta por Leandro Caçoilo (vocal), Felipe Machado (guitarra), Pit Passarell (baixo), Guilherme Martin (bateria) e Kiko Shred (guitarra). Com um Setlist curto, porém repleto de sucessos e participações muito especiais, como a de Hugo Mariutti e Luis Mariutti, quase juntaram pra executar “To Live Again” e posteriormente dedicar para Canisso e André Matos a canção “Living for The Night”.   O Viper levantou o público com […]

Persefone representa metal alternativo andorrano no palco do Manifesto Club

Clinger Carlos

Texto: Guilherme Góes – @thegoes_ Fotos: André Santos – @andresantos_mnp Realização: Dark Dimensions – @darkdimensionsbrazil Press: JZ Press – @jzpressassessoria É notável o aumento da presença de bandas que exploram sonoridades alternativas do heavy metal e decidem excursionar pelo Brasil, evidenciando a força do movimento musical em nosso país. Durante o feriado de carnaval, os finlandeses do Swallow The Sun trouxeram seu icônico doom metal, que é caracterizado pela fusão de vocais limpos e urros guturais, ao palco da Fabrique Club. Já no último final de semana, a banda sueca Enforcer apresentou a inusitada combinação de batidas e riffs speed/metal com vocais hard rock no Hangar 110. Dando continuidade à série de shows de grupos de metal alternativo e começando o mês de março com o pé direito, o Manifesto Bar – conhecido como o “templo do rock paulistano” – sediou a apresentação de estreia da banda andorrana Persefone em território nacional, com a abertura do evento a cargo do The Seer, uma das principais revelações da cena metal paulistana. Recentemente, o grupo lançou “The Answer”, segundo álbum completo da carreira, e segue em atividade divulgando o trabalho.   Oriunda de Andorra, pequeno país situado entre a França e Espanha cuja população total é inferior a dezenas de bairros paulistanos (menos de 80.000 habitantes), Persefone é o principal representante do metal da micronação europeia. Formada em 2000, a banda é conhecida pela habilidade técnica de suas composições, que combina elementos do death metal melódico, metal progressivo, synth music e até mesmo jazz, criando uma experiência auditiva verdadeiramente única. Ao longo das últimas duas décadas, o grupo lançou vários álbuns de estúdio aclamados pela crítica, incluindo “Truth Inside the Shades” (2004), “Core” (2006), “Shin-Ken” (2009), “Spiritual Migration” (2013) e “Aathma” (2017).  Com alguns minutos de atraso em relação ao horário oficial, o Manifesto abriu as portas ao público geral por volta das 19h20. Como de costume, uma discotecagem interna aqueceu o público. Já aqueles que não estavam interessados na tracklist puderam circular pelo clube e conferir algumas das “atrações alternativas” que enfeitam as paredes da casa, como fotografias e itens de algumas das principais lendas do rock mundial que já estiveram no local, entre elas: Dave Mustaine (Megadeth), Lemmy Kilmister (Motorhead), Klaus Meine e (Scorpions).    Às 20h10, The Seer iniciou a primeira apresentação da noite. Após uma breve […]

Nando Reis encerra turnê solo no Tokio Marine Hall e destaca setlist com os seus principais sucessos

Clinger Carlos

Texto: Guilherme Góes Fotos : André Santos Prestes a retornar aos palcos com a lendária banda Titãs para a turnê “Encontro”, no último sábado (11), o carismático cantor Nando Reis apresentou o último show da turnê “Nando Hits” no palco da Tokio Marine Hall.  Além disso, a cerimônia de encerramento da tour também contou com uma data extra no domingo (12). Porém, diferentemente da apresentação de sábado, o evento recebeu a participação especial da cantora Ana Vitória. Nesta recente série de apresentações ao vivo, o músico destacou um setlist especial, revisando todos os principais sucessos de seus 40 anos de carreira. Para aquecer o público, por volta das 21h, o palco secundário do clube abrigou um pocket show da banda Colomy. Formado por Pedro Lipatin, Eduardo Schuler e Sebastião Reis (filho de Nando Reis), o grupo destaca sonoridade acústica e vem recebendo grande visibilidade nas redes sociais. Atualmente, o trio conta com mais de 60 mil ouvintes na rede Spofity™ e 21 mil seguidores no Instagram™. O espaço aconchegante do cenário “lado-b” do hall de entrada da Tokio Marine permitiu uma apresentação intimista. Com o público praticamente “colado” aos instrumentos, Sebastião Reis e companhia conquistaram a atenção dos presentes com os singles “Pra você guardei o amor”, “Sendo como sou” e “Pássaro livre”. Colomy é um ótimo conjunto musical, possui composições marcantes, bases instrumentais agradáveis e presença de palco cativante. A produção “vacilou” ao não colocar o set dos rapazes no palco principal, já que, certamente, os efeitos especiais do telão de LED da casa iriam enriquecer a experiência geral do evento de abertura. Ao término do pocket show, os fãs seguiram em direção ao salão principal e ocuparam as mesas que foram organizadas de forma estratégica para “combinar” com a dinâmica da apresentação. Após anúncios dos patrocinadores e observações sobre medidas de segurança, Nando Reis, Eduardo Schuler (Bateria), Felipe Cambraia (baixo), Alex Veley (teclados) e Walter Villaça (guitarra) surgiram no cenário e deram o pontapé inicial no show com “Pré-sal”, que, logo de cara, impressionou o público com uma belíssima produção visual com imagens 3D destacando constelações, galáxias e oceanos sob um filtro “90s psychodelic”. Na sequência, “Marvin”, uma de suas maiores contribuições ao Titãs, teve sua execução decorada por fotografias pessoais de Nando e […]

Casagrande & Hanysz retornam ao Blue Note destacam repertório com músicas inéditas, covers e participações especiais

Clinger Carlos

Texto: Guilherme Góes Fotos: Tamires Lopes Após encantar o público com excelentes composições instrumentais durante a abertura do show da banda estadunidense de math rock Animal As Leaders, o duo Casagrande & Hanysz retornou à cidade de São Paulo para a apresentação de um set completo. Na última quarta-feira (01), os rapazes deram o pontapé inicial na agenda do clube Blue Note para o mês de fevereiro. Coincidentemente, a filial paulistana da emblemática casa de jazz nova-iorquina também abrigou a primeira gig ao vivo do grupo, em fevereiro de 2022. Depois do encerramento de um show cover com a banda da casa, que destacou releituras de alguns dos principais clássicos da disco music setentista, os headbangers começaram a dominar o espaço. Ao ouvir conversas aleatórias dos fãs presentes na plateia, foi possível constatar que muitos visitantes conheceram o novo projeto do baterista do Sepultura durante o evento com o AAS, já que a apresentação da dupla com o conjunto norte americano era “pauta de conversa” entre amigos que ocupavam as mesas do salão principal da casa de espetáculos. Por volta das 22h40, a dupla subiu ao palco e iniciou o show com “Tentative“, faixa marcada por uma incrível fusão de riffs compactos, blasts beats e frequentes viradas simultâneas em dois pratos címbalos. Na sequência, veio “Hope Refugee”, onde Hanysz exibiu um solo de guitarra extremamente complexo, que acabou encaixando perfeitamente os efeitos de pedais duplos comandados por Eloy Depois da dobradinha, Eloy anunciou que a banda iria apresentar uma música inédita, ainda sem título. Após o guitarrista Hanysz trocar seu instrumento usual por uma guitarra com 7 cordas, o duo destacou em primeira mão a obra exclusiva, que combina stomp agressivos em pratos China com riffs “cavalgados”. No segundo bloco do evento, também vieram covers das músicas “Smooth Criminal” (Michael Jackson), “Telephone” (Lady Gaga), além de uma homenagem improvisada ao Metallica com “Master Of Puppets”, que contou com a participação do popular youtuber Lucas Inutilismo. Além das homenagens, “Do Not Belong” e “Now Here”, músicas do primeiro EP do grupo, também marcaram presença nesta parte do repertório. Para o fechamento da apresentação, os meninos anunciaram mais faixa inédita, intitulada “Fransktein“. No entanto, falhas no computador de Hanysz impediram a reprodução do single. Dessa forma, Eloy Casagrande resolveu improvisar um solo de bateria, assim encerrando a noite com chave de ouro. Apesar da forte influência de estilos extremos, como djent e math rock, a performance da dupla Casagrande & Hanysz combinou bem com o ambiente […]

Geoff Tate apresenta show especial com “Rage of For Order” e “Empire” na íntegra

Clinger Carlos

Texto: Guilherme Góes Fotos: André Santos Após protagonizar um show intimista e relativamente improvisado em um pequeno pub na capital fluminense, o vocalista Geoff Tate desembarcou em São Paulo, na última sexta-feira (20), para apresentar na íntegra dois enormes sucessos comerciais do Queensrÿche: “Rage for Order” e “Empire”. O evento aconteceu na casa de espetáculos Tokio Marine Hall. Voz presente em hits atemporais como “Best I can”, “Silent Lucidity” e “Another Rainy Night”, Geoff conquistou fama global ao liderar o Queensrÿche –  um dos grupos mais importantes do metal progressivo oitentista. Além disso, o vocalista também liderou outros projetos, como “Operation: Mindcrime” (depois da sua turnê de despedida como Queensrÿche, ele renomeou sua nova banda em homenagem ao álbum de mesmo nome) e “Sweet Oblivion”. Em mais de 40 anos de carreira, o músico ostenta alguns prêmios, entre eles: “Melhor voz do Heavy Metal Progressivo” (Revista Vegas Rocks, 2012) e “9º Melhor cantor de metal agudo” (Revista OC Weekly’s, 2015). Aos 64 anos, segue em atividade realizando shows com músicas de suas antigas bandas, em conjunto com composições de sua carreira solo.   – Pré show com ruas vazias  Ao longo da penúltima semana de janeiro, dias ensolarados reinaram em São Paulo. Porém, para a tristeza dos comerciantes e ambulantes da Rua Bragança Paulista, uma forte garoa atingiu a cidade na sexta-feira, e muitos acabaram desistindo do famoso “esquenta pré-show”. Os poucos fãs que circulavam pelo endereço preferiram se abrigar dentro da casa de espetáculo assim que os portões foram abertos, por volta das 20h.   Geralmente, a organização da Tokio Marine convida bandas covers para apresentarem pocket-shows no hall de entrada do clube, assim animando a galera enquanto aguardam as atrações no palco principal. Porém, desta vez, nenhum concerto secundário foi arranjado. Dessa forma, os presentes acabaram “matando o tédio” curtindo a discotecagem interna, conferindo barracas com produtos exclusivos da turnê ou simplesmente descansando na confortável área externa do espaço.   – Marenna tocando para (quase) ninguém   Por volta das 20h30, a banda gaúcha Marenna iniciou a sessão de música ao vivo. Infelizmente, o público presente na pista ainda era bastante reduzido, sequer contabilizando 150 pessoas. No entanto, a ausência de seguidores não desanimou o grupo liderado por Rod Marenna (figura popular do metal rio-grandense, com mais de 30 anos de atividade na cena), e os rapazes conseguiram cativar a pequena parcela de fãs com um som hard rock repleto […]

Warshipper lança novo projeto “Oficinas Musicais”

Clinger Carlos

Prestes a completar 12 anos de carreira, o Warshipper vive seu melhor momento. Lançado em Agosto de 2020, “Barren…”, terceiro e mais recente álbum do Warshipper, é uma obra da arte grotesca com traços de genialidade. São aqueles raros momentos onde um artista parece planar sob um tempo futuro, dando início a novas vanguardas. Tal definição é sustentada pela excelente repercussão que o disco obteve na imprensa especializada. Na votação segundo os redatores da Roadie Crew, “Barren…” foi citado entre os “Melhores de 2020” por cinco diferentes colaboradores. Já na votação segundo os leitores da revista, o Warshipper apareceu em três categorias: “Melhor Vocalista Nacional”, “Melhor Baterista Nacional” e “Melhor Baixista Nacional”. “Barren…” também apareceu em outras listas de “Melhores do Ano” como no blog Combate Rock do UOL, Metal Mind Reflections, Rock Master, Rock Breja, Resenhando, Goblin TV, Mundo Metal, etc. Recentemente os fãs do Warshipper também puderam revisitar o passado da banda, mais especificamente os dois primeiros álbuns, “Worshippers of Doom” de 2015 e “Black Sun” de 2018, que foram reunidos em um luxuoso CD duplo digipack lançado pela icônica gravadora Heavy Metal Rock com o título “Past Essentials”. Passado revisitado, o Warshipper agora prepara-se para o lançamento de seu quarto e novo álbum que vai se chamar “Essential Morphine”. Previsto para ser lançado pela Heavy Metal Rock no início de 2023, três singles desse álbum já foram disponibilizados: a experimental “Morphine”, a versão do Warshipper para “The Twin Of Icon” do Bywar -, antiga banda do guitarrista/vocalista Renan Roveran – e mais recentemente “The Night Of The Unholy Archangel”, versão para o clássico do Zoltar, antiga banda do baixista/vocalista Rodolfo Nekathor. Mas antes do novo disco e para fechar o produtivo ano de 2022, o Warshipper apresenta seu novo projeto: “Oficinas Musicais”. “Warshipper – Oficinas Musicais” é um projeto viabilizado através do “Edital de Acesso – Concurso nº 01/2021” do Fundo Municipal de Cultura pela Secretaria de Cultura de Votorantim e reúne quatro diferentes oficinas musicais em vídeo: vocal, guitarra, baixo e bateria. Cada oficina é baseada nas experiências reais e bem-sucedidas vividas com a banda Warshipper […]

KNOTFEST Brasil 2022: está chegando a hora

Clinger Carlos

Elenco histórico vai reunir Judas Priest, Pantera, Bring Me The Horizon, Sepultura, Trivium, Mr Bungle, Motionless in White, além do Slipknot, para a primeira edição brasileira de um dos maiores festivais de rock e metal no mundo Festival acontece no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, e o lineup conta também com Vended, Project46, Oitão e Jimmy & Rats! Um dos maiores festivais de hard rock e metal no mundo, que celebra um estilo de vida e a cultura do rock e do metal, o KNOTFEST chega ao Brasil pela primeira vez em 2022 com um line-up mais que especial. Além do headliner do festival, SLIPKNOT, onze outras bandas estão confirmadas para se apresentar no Sambódromo do Anhembi, em 18 de dezembro do próximo ano, dividindo-se em dois grandes palcos e 12 horas de festival. Uma das principais atrações do evento são os britânicos do Judas Priest, considerado um dos precursores do heavy metal moderno e um dos grupos mais influentes na história do gênero, que estarão comemorando com os fãs brasileiros uma história de 50 anos da banda, interrompida por causa da pandemia, e retomam agora em grande estilo, conforme atesta o vocalista Rob Halford: “Defendendo a fé do heavy metal por cinquenta anos, o Priest está de volta!” Outra atração confirmada é uma reunião histórica: o Pantera, uma das bandas de maior sucesso no metal durante os anos 90, com músicas incrivelmente marcantes e donos de uma originalidade sem precedentes, está sendo reunida por Phil Anselmo e Rex Brown para uma turnê mundial em 2023 que irá celebrar os 20 anos da última apresentação da banda. O público presente ao KNOTFEST vai poder conferir esse reencontro em primeira mão. O Bring Me the Horizon, banda inglesa cuja importância cresce vertiginosamente a cada ano, já figura entre as mais importantes do gênero no mundo, e que leva o público à loucura em suas apresentações, sempre considerada uma das melhores atrações em todos os festivais mundiais dos quais participa, estará no KNOTFEST para mostrar seu som eclético, que mistura o rock pesado a ritmos como o pop, o eletrônico e […]

SUMMER BREEZE OPEN AIR divulga seu line-up completo.

Clinger Carlos

Às vésperas de completar 25 anos, o megafestival Summer Breeze Open Air, conhecido por levar ao palco as principais bandas de rock do mundo, confirma edição brasileira no Memorial da América Latina (São Paulo). O evento acontece dias 29 e 30 de abril de 2023 e reunirá grandes nomes do gênero. Serão quase 30 horas de música rolando nos quatro palcos do evento. E, como tradicionalmente ocorre nos festivais europeus, o público poderá aproveitar uma atmosfera única que vai além dos shows em si, pois a estrutura do evento abrigará opções de entretenimento diversas, proporcionando uma experiência inesquecível: – Gastronomia diversa e com a culinária alemã presente – Feira de games e tatuagens – Lojas com diversos produtos relacionados a cultura da arte e da música – Merchandising variado do festival e das bandas participantes – Um verdadeiro espaço kids com brinquedos diversos e monitores – Sessões de autógrafos com as bandas presentes no festival – Side Shows acontecendo na Audio, antes e após às datas do festival “Escolhemos trazer o Summer Breeze justamente por sua qualidade, por prestarem um serviço pautado pela excelência tanto para o público quanto artistas e parceiros e por entenderem que o Brasil é totalmente diferente da Alemanha e abraçarem essas diferenças e embarcarem nessa jornada conosco. O Festival não foi empacotado na Alemanha e enviado para o Brasil. Ele foi redesenhado para o público brasileiro sem perder sua essência, garantindo uma excelente estrutura para que os presentes tenham atividades o dia todo enquanto esperam aquele show (ou aqueles shows) preferido(s), também entregaremos um serviço rápido e eficiente de alimentos e bebidas, por exemplo.”, comenta Rick Dallal, Free Pass Entretenimento. O evento aqui no Brasil acontecerá anualmente e fará parte do calendário oficial da cidade de São Paulo – contando com o apoio da Prefeitura da cidade de São Paulo e do Governo do Estado. Com isso, o festival espera dar visibilidade a bandas nacionais e estrangeiras e gerar muitos empregos diretos e indiretos. “É a hora de o Brasil ser, através de São Paulo, a segunda casa da marca Summer Breeze. São Paulo é […]

PENTRAL (PA) retorna com show inédito e promessa de turnê pelo Brasil e América Latina

Clinger Carlos

A banda Pentral está de volta com um show inédito, com produção de altíssimo nível o espetáculo conta as estórias que fazem parte do seu igualmente brilhante disco de estreia “What Lies Ahead Of Us” e já prepara sua turnê pelo Brasil e América Latina para os próximos meses. A banda segue com Victor Lima nas guitarras e voz, seu irmão Vagner Lima na bateria e o agora mais recente integrante Elder Queiroz no baixo. O primeiro show da nova formação da Pentral aconteceu em Setembro deste ano, no Teatro Estação Gasômetro em Belém (PA), com capacidade para 400 pessoas o evento teve sua transmissão realizada via “Live Streaming” pela plataforma digital “Bandcamp” para o mundo todo, considerando já existir uma base de apreciadores do som da grupo fora do Brasil. “Com muito esforço e atenção aos detalhes, conseguimos levar para o palco a essência deste primeiro disco – um clima enigmático, impactante e intenso”, pondera Victor (voz e guitarras). O álbum What Lies Ahead of Us conta a história de um casal que mora com uma criança (sua filha) no meio da floresta amazônica, e todos vivem sob a ameaça de uma besta – que, na verdade, é o próprio ser humano e sua incontrolável ambição, interessado em destruir a floresta e ganhar dinheiro. A mulher tem premonições sobre um final trágico e, eventualmente, eles conseguem fugir quando os invasores chegam. Na cidade, eles têm de lidar com toda sorte de problemas típicos da sociedade diatópica em que vivemos, como racismo, egoísmo, preconceito e indiferença. “Ficamos felizes porque além de poder tocar na cidade em que nascemos, graças à tecnologia, pudemos oferecer para pessoas do mundo todo um pouco da experiência da performance das canções ao vivo. Esperamos realizar mais shows presenciais com o público interagindo no Brasil e mundo afora”, acrescenta Victor. What Lies Ahead Of Us 1 – Silent Trees 2 – All My Wounds 3 – Disconnected 4 – Letters From Nowhere 5 – Aiming For The Sun 6 – A Gift From God 7 – No Real Colour In Souls 8 – The Shell I’m […]

O Heavy Metal brasileiro ganha mais um podcast.

Clinger Carlos

O canal Heavy Metal On line, que completa 10 anos de existência neste ano lançou na última quinta-feira (29/09) seu podcast, transmitido do estúdio Zero Nove na cidade de Belo Horizonte para todo o Brasil. O primeiro episódio contou com dois grandes convidados que trouxeram muitos insights e informações super relevantes dentro do business do heavy metal e temas mundiais relacionados ao estilo, sendo eles o guitarrista, Alan Wallace da banda Eminence, experiente por suas longas turnês pelo mundo e o ilustre Lucélio, proprietário do Mister Rock, maior casa de shows de metal de BH atualmente e também proprietário do recém inaugurado Caverna Rock Bar. O podcast do canal será produzido mensalmente, com datas a serem divulgadas antecipadamente, sempre com transmissão ao vivo e com os temas focados nas produções, turnês, viabilidade econômica de bandas, sendo todos os temas focados no business deste mercado. Quem quiser acompanhar este episódio é só entrar no canal do Youtube do Heavy Metal On Line e conferir o episódio completo, além dos cortes que serão disponibilizados. Aproveite este conteúdo muito especifico pra você que é fã, produtor, músico ou amante do heavy metal brasileiro.     REDES SOCIAIS HEAVY METAL ON LINE YouTube: https://www.youtube.com/c/heavymetalonline Instagram: https://www.instagram.com/heavy_metal_on_line/ Facebook: https://www.facebook.com/clingercarlosteixeira.teixeira

HOLOCAUSTO WM: OUÇA O NOVO ÁLBUM, “DE VOLTA AO CAMPO DE EXTERMÍNIO”

Clinger Carlos

Foi disponibilizado no YouTube o novo álbum do HOLOCAUSTO WM, intitulado “De Volta ao Campo de Extermínio”. Gravado entre os meses de janeiro e maio deste ano, “a versão 2022 do clássico álbum “Campo de Extermínio” é superior em sua sonoridade, arranjos e execução instrumental”, declarou Valério Exterminator. Lançado no dia 9 de setembro, mês em que se celebra os 35 anos da versão original, o war trio comenta: “conseguimos manter a essência do álbum e agregar mais qualidade por algumas estratégias tomadas. A estratégia mais relevante foi gravar a guitarra guia com metrônomo, evitamos “atropelamentos” nas execuções dos instrumentos, tornando o instrumental coeso e permitindo ao ouvinte perceber o que cada músico está tocando. Outra estratégia foi dar liberdade aos três vocalistas, assim os arranjos vocais ficaram mais variados, não somente em relação à alternância dos três em uma mesma música, mas também dando liberdade de mudança na métrica e nas composições de 1987”. Ouça “De Volta ao Campo de Extermínio”: Outra mudança se refere às letras, com uma mudança na música “Setembro Negro”, onde houve até a criação de uma nova estrofe, em uma parte que não havia letra. A estrofe traz o pensamento de Erich “Bubi” Hartmann, um piloto de caça alemão durante a Segunda Guerra Mundial, tido como o ás de caça de maior sucesso na história da guerra aérea. Foram 1.404 missões de combate. Essa liberdade de arranjos permitiu ao baterista/vocalista War Tank usar blast beats na música “Facção Revolucionária Armada”, tornando-a mais atual, mas de forma alguma soando “moderna”. Segundo a banda, outra grande diferença em comparação ao álbum de 1987, trata-se de uma das características mais percebidas pelos aliados em relação ao war trio, e que foi comentada por eles no álbum “Batismo de Fogo”: “é sobre a facilidade do ouvinte entender o que a banda está cantando. afinal cantamos em português, se nossos aliados brasileiros não conseguem entender o que estamos cantando, então qual motivo de cantar em português?”. Valério Exterminator diz ainda que “a versão 2022 só não é superior ao aspecto afetivo”. Em breve a banda disponibilizará uma nova linha de merchandising confeccionado especialmente para esse lançamento.  Créditos da foto: Divulgação  Contatos: Facebook: https://www.facebook.com/exterminator.wargeneral Instagram: https://www.instagram.com/holocausto_warmetaloficial […]

RESENHA de pré lançamento do novo álbum do DEEP MEMORIES feita por Clinger Carlos.

Clinger Carlos

Mais uma vez o DEEP MEMORIES nos surpreende com suas melodias e agressividade bem postada dentro da estrutura musical apresentada neste novo álbum. É muito bom ouvir o som da banda com um fone de ouvido, de qualidade, pra sentir as nuances das guitarras e teclados se dividindo nos seus ouvidos da direita pra esquerda.A sonoridade da banda tem um feeling muito especial e sempre uso as músicas da banda como fundo musical em meus documentários e programas pois se encaixam perfeitamente em momentos mais emocionais e marcantes. A faixa de abertura chamada Enslaved by Reciprocity Obligation apresenta características bem peculiares aos trabalhos anteriores e tem um solo muito interessante e logo em seguida com a entrada do vocal rasgado as melodias se casam perfeitamente. Vale o destaque também para a faixa título Why Do We Suffer que tem umas passagens com clima bem Opeth, ao meu ver. Recebi também as artes gráficas que farão parte do material físico e fica o destaque para a comunicação visual da banda que sempre foi exemplar e retratando sempre o clima das músicas nas imagens contidas nos encartes.Super recomendado este trabalho desta one man band capitaneada por Douglas Martins e mais uma vez lançada por este importante selo que tanto nos traz bons trabalhos chamado Heavy Metal Rock, ficando aqui meus sinceros parabéns por tantos anos de luta dentro do metal nacional.Então é isto, o DEEP MEMORIES está lançando um álbum novo, intitulado “Why Do We Suffer?” que vai sair agora dia 30/09 (tanto digital, quanto físico). Fiquem ligados que está sensacional!!!